Em sua 2° edição, loja Cidade Mãe de Sergipe gerou mais de R$ 14 mil para artesãos da cidade

22/07/2021 - 12:27 Atualizado há 18 horas



A loja de artes e artesanato Cidade Mãe de Sergipe, que estava localizada no Shopping Riomar e foi promovida pela Prefeitura de São Cristóvão, através da Fundação Municipal de Cultura e Turismo João Bebe Água (Fumctur), alavancou as vendas dos artesãos do município em meio à crise estabelecida pela pandemia. Em sua segunda edição (a primeira vez que a loja funcionou foi no ano de 2018), o espaço que objetiva potencializar o turismo e a cultura de São Cristóvão conseguiu dobrar o seu faturamento e alcançou a marca de R$14.857,00, dando mais segurança financeira e perspectiva de futuro para os artesãos.

 

 

A coordenadora de artesanato da Fumctur, Cláudia de Oliveira Silva, crê que o espaço possibilitado pela Prefeitura foi uma oportunidade para os artesãos durante a pandemia, já que estavam com as vendas em baixa. “O saldo foi muito positivo. Quando nós terminamos, todo mundo vibrou de alegria, já que nós conseguimos fazer boas vendas e dobrar a renda em relação à nossa primeira vez lá em 2018, e naquela época não estávamos em pandemia. Dessa vez foi uma surpresa, sabíamos que ninguém estava vendendo muito, inclusive o Shopping”, explicou Cláudia.

 

 

Em um momento de tantas incertezas, Cláudia atribui o crescimento nas vendas da loja ao trabalho constante da Prefeitura junto aos produtores de artesanato da cidade. “A gente pode associar isso à qualidade do nosso artesanato que vem melhorando constantemente, entre 2018 e 2019 a Prefeitura disponibilizou diversos cursos de qualificação e aperfeiçoamento das técnicas em parceria com o Sebrae, e com a pandemia os artesãos puderam melhorar também em casa”, finalizou.

 

 

Para Dívani Ribeiro de Araújo, artesã que produz peças em crochê, ações como essa sempre abrem muitas portas para todos que trabalham na área. “Participei nas duas vezes em que a loja abriu, porém na primeira não tivemos muitas vendas. Na segunda, agora em 2021, pensei que também não teríamos tantas vendas devido a esse momento pandêmico que estamos vivenciando, mas fui surpreendida. Acho que não só eu como todos os artesãos”, declarou.

 

“Tivemos visibilidade, fizemos divulgação através das redes sociais, e o público que nos visitava na loja chegava lá e ficava encantado, com isso só tenho a agradecer a todos os artesãos, ao prefeito e a todos os envolvidos da prefeitura, só tenho gratidão”, explicou Dívani.

 

 

Também presente nas duas edições da loja Cidade Mãe de Sergipe, a artesã Ridace Evangelista já conseguiu novos clientes a partir da exposição que ela teve na loja, graças a oportunidade dada pela prefeitura. “Sexta-feira eu vou me encontrar com um grupo de gaúchos que, através da vitrine no Riomar, viram minhas peças e querem fazer pedidos. Eu só tenho a agradecer a Deus e a todos da Prefeitura que fizeram esse trabalho”, salientou Ridace.

 

Ridace Evangelista

 

Pensada também para difundir a imagem de São Cristóvão para todos que passassem por lá, a identidade visual da loja foi preparada para retratar a cidade e instigar seus visitantes a visitarem o município. De acordo com Elma Santos, diretora de cultura e arte da Fumctur, isso fez com que as pessoas associassem os produtos ao seu lugar de origem. “Toda identidade visual da loja remetia a São Cristóvão, reforçando e fomentando também a vinda do turista para a cidade. Aquele Shopping está dentro de um fluxo natural do turismo, lá o fluxo turístico é maior do que em outros da cidade, então nós tivemos também esse pensamento de fazer com que eles sintam vontade de vir para cá”, finalizou a diretora.

 

Elma Santos, diretora de cultura e arte

 

Fotos: Dani Santos