Em reunião com Sintese, Prefeitura define retomada do reajuste do piso dos professores para janeiro de 2022

21/07/2021 - 14:42 Atualizado há 1 dia



O prefeito de São Cristóvão, Marcos Santana, recebeu na manhã desta terça-feira (20), representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica de Sergipe (Sintese), e definiu a retomada do reajuste do piso dos professores do município para janeiro de 2022. A medida visa dar continuidade ao resgate de perdas salariais impostas por gestões anteriores.

 

O gestor municipal reforçou o seu compromisso com a retomada da correção do piso salarial aplicado à carreira, esclarecendo que o Município já recuperou aproximadamente 83% dos salários desde 2017. Ele comprometeu-se em fazer a reposição de 10% em janeiro de 2022, ficando o restante do saldo a partir de janeiro de 2023, sem prejuízos dos reajustes do piso que eventualmente sejam dados pelo Governo Federal.

 

“Mais uma vez reafirmo aquilo que tenho dito em inúmeras reuniões, documentos e através das redes sociais: nós estamos em débito com os professores, mas estamos desde 2017 buscando fazer valer o que a lei estabelece, que é o pagamento do Piso Nacional do Magistério. Esse é o meu compromisso com os professores de São Cristóvão, e eu irei cumprir”, afirmou Marcos Santana.

 

Prefeito Marcos Santana reforçou o seu compromisso com a retomada da correção do piso salarial aplicado a carreira

 

O encontro realizado no Paço Municipal também contou com a participação de representantes da Secretaria Municipal de Educação (Semed) e da Procuradoria Geral do Município (PGM). Conforme detalhou a procuradora geral, Aline Magna, o último reajuste ocorreu no início de 2020, e em razão da pandemia da Covid-19 não foi possível dar continuidade ao reajuste previsto para o ano de 2021. Segundo ela, “a Lei complementar Nº 173/2020 não permite que nós façamos acréscimos salariais até dezembro de 2021”, informou.

 

 

Também foram discutidas questões como a retomada das aulas nas escolas municipais, que está ocorrendo no formato híbrido. “Informamos que nós entendemos que esse é um momento favorável ao retorno gradativo das atividades letivas, quando nossas escolas estão com protocolos de segurança bem estruturados pelo comitê cientifico, então permaneceremos com o retorno gradativo de forma cuidadosa”, falou a secretária municipal de educação, Quitéria de Barros.

 

Ficou também convencionado que se formariam comissões mistas, formadas pelo poder público e pelo Sintese, para avaliar alternativas as posições adotadas, dentro de um amplo e democrático debate.

 

Fotos: Dani Santos