Defesa Civil de São Cristóvão comemora 20 anos neste dia 10

13/10/2020 - 11:34 Atualizado há 2 dias



Neste dia 10, a Defesa Civil de São Cristóvão comemora 20 anos de existência. Criada em outubro de 2000 através da Lei 2604/55, que fala da necessidade dos municípios com mais de 50 mil habitantes ter uma Coordenadoria de Defesa Civil.

A instituição atua nas fases de prevenção, preparação, mitigação e reconstrução de cenários de desastres naturais ou provocados pelo homem. Atualmente a Defesa Civil de São Cristóvão está sob o comando de Luciano Silva Santos, integrante desde a criação, e conta com quatro servidores no corpo técnico.

A missão da Defesa Civil é promover, coordenar e supervisionar as ações de prevenção e mitigação de desastres e acidentes que prejudiquem o município ou sua população, e de assistência e atendimento às necessidades da população, decorrentes de situações de emergência ou de estados de calamidade pública.

Segundo o coordenador, um exemplo de trabalho coordenado e eficaz da Defesa Civil foi, em meados de 2018, quando a estimativa de chuva para um dia era de 100 ml, mas por conta de mudanças climáticas, choveu 220 mL de água. “Naquele momento, nosso sistema de drenagem estrangulou, foi superior a capacidade, para minimizar os estragos, como limpeza de córregos e canais, desobstrução de bocas de lobo, fizemos um trabalho conjunto com outras secretarias, pouco tempo depois tudo já tinha sido regularizado”, disse ele.

 

Luciano Silva, Coordenador da Defesa Civil de São Cristóvão

 

O lema da Defesa Civil de São Cristóvão é “a vida em primeiro lugar”. Para Luciano, um dos momentos mais marcantes ao longo dos seus 20 anos de serviço ocorreu em 2010, quando houve uma grande alagação na parte baixa da sede do município, e ele pode pôr em prática e significar o lema do seu trabalho. “Poder socorrer as pessoas naquela situação me marcou bastante. Com o apoio da Defesa Civil Estadual, fomos resgatar quem estava ilhado. Havia uma senhora que estava sozinha em casa, e nós até conseguimos realizar o resgate, mas na hora ela sofreu um infarto e infelizmente veio a falecer. A sensação momentânea de ter salvado uma vida foi única”, disse Luciano.

 

Ocorrências

 

Em primeiro lugar estão as chamadas feitas juntamente com a Sec. de Assistência Social para a realização de laudos em casas com potencial de desmoronamento. O laudo produzido é necessário para que a família desabrigada receba o aluguel social. Também somos responsáveis, juntamente com o IPHAN, pela as avaliações nas igrejas, além de agir nas inundações, alagamentos, deslize de terra, ou qualquer transtorno que venha ocorrer.

 

Fotos: Dani Santos