CRAS na Comunidade - Ilha Grande recebe ações da Secretaria de Assistência Social

16/09/2021 - 18:26 Atualizado há 8 horas



O Projeto CRAS na Comunidade da Secretaria de Assistência Social e do Trabalho – Semast esteve na última quarta-feira (15) na Ilha Grande prestando atendimento aos moradores do local. Os serviços ofertados foram solicitação de benefícios eventuais como cestas básicas, auxílio natalidade e aluguel social, por exemplo, orientação e consulta sobre cadastro único e bolsa família, cadastro e atualização do programa bolsa família e encaminhamentos para outros serviços da rede.

 


Camila Cupertino dos Santos (25 anos) foi fazer o cadastro no Programa Bolsa Família e solicitar uma autorização para isenção do pagamento da taxa para a segunda via do documento de identidade. “O serviço chegando até aqui facilita a vida da comunidade que teria que se deslocar até a cidade”, disse ela.

 

A coordenadora do CRAS São Cristóvão Paula Cardoso apresentou aos moradores os serviços como o Cadastro Único (bolsa família) e o PAIF – Proteção e Atendimento Integral a Família que atende as famílias em situação de vulnerabilidade. “Algumas famílias podem estar com dificuldade de ter acesso aos direitos básicos como alimentação, moradia ou estão enfrentando alguma situação de violência. Alguns desses serviços são auxílio alimentação, auxílio gestante. Comunidades como a de Ilha Grande não tem acesso ao CRAS, normalmente tem dificuldade de transporte e financeira, então a gente entende que é importante levar o serviço até a comunidade, mesmo aqui onde eles têm acesso à subsistência como a pesca”, informou.

 

O pescador Eliziário Paes dos Santos foi se cadastrar no programa bolsa família e considera muito importante esse tipo de ação. “Muitas coisas que não temos como resolver aqui, temos que ir para São Cristóvão ou nas Pedreiras, e com o preço do combustível fica complicado. É muito bom poder resolver as coisas aqui mesmo” resaltou Eliziário. Bianca Leal foi solicitar o encaminhamento para a certidão de nascimento da filha e verificar o andamento do pedido para bolsa família. Ele disse que na Ilha é tudo difícil, “aqui a gente tem que pegar barco e transporte até São Cristóvão, quando o atendimento vem até aqui facilita muito”.

 


O CRAS na comunidade fez uma média de 25 atendimentos na Ilha Grande e ao final dessa semana encerra a primeira rodada de atividades nos povoados, assentamentos e ilhas do município. Gilzanira Nascimento, coordenadora de proteção social básica da Semast, disse que “essa é a primeira vez que trazemos os serviços às comunidades mais distantes. Desde julho estamos trazendo o CRAS duas vezes por semana, melhorando o acesso e atendendo na própria comunidade, aproximando para conhecer as potencialidades e as vulnerabilidades para traçarmos políticas para garantir direitos”.

 

Gilzanira Nascimento

 

Paula Cardoso

 

 


Fotos: Heitor Xavier.