Coordenação de Igualdade Racial de São Cristóvão celebra data de combate ao racismo

19/03/2021 - 14:32 Atualizado há 12 horas



No próximo dia 21 de março será celebrado o Dia Internacional para a Eliminação da Discriminação Racial. Criada pelas Organizações das Nações Unidas (ONU), a data é marcada pelo Massacre de Sharpeville, em Joanesburgo, na África do Sul, onde homens e mulheres negras foram assassinados durante o Apartheid (regime separatista da África do Sul que durou de 1948 a 1994). Em São Cristóvão, desde 2017, dentro da Fundação de Cultura e Turismo João Bebe-Água (Fundact), funciona a Coordenação de Igualdade Racial, órgão que visa trabalhar questões ligadas à temática, dando enfoque às diretrizes públicas que garantam o combate ao preconceito racial.

Paola Santana

 

“A Coordenação de Igualdade Racial, que agora passa a se chamar de Igualdade Racial e de Gênero, tem como foco o trabalho voltado para a quebrar paradigmas e barreiras sociais. Entendemos que, enquanto Fundação de Cultura e Turismo, temos o compromisso em contribuir para uma sociedade melhor, mais digna e igualitária. A celebração pelo Dia Internacional para a Eliminação da Discriminação Racial será simbólica, por conta da pandemia, onde exibiremos nas redes da Prefeitura de São Cristóvão um produto audiovisual, porém, o trabalho que estamos fazendo é gradativo e muito vezes silencioso mas existente e importante, para contribuirmos assim com o fim das intolerâncias”, frisou a diretora-presidente da Fundact, Paola Santana.

 

Segundo o site do Instituto de Políticas em Diretos Humanos, as Nações Unidas informam que existem cerca de 200 milhões de pessoas se identificando enquanto afrodescendentes vivendo nas Américas, e outros milhões vivendo nas demais partes do mundo (fora do continente africano). Esses mesmos dados também sinalizam que pessoas de descendência africana fazem parte dos grupos mais pobres e marginalizados, o que dá a data (21 de março) um cunho social de luta constante. Segundo a coordenadora municipal de promoção e igualdade racial, Acácia Maria Santos, o tema deve ser discutido diariamente tanto em ações grandes quanto em eventos de menor porte.

Acácia Maria Santos


“A data é marcante não apenas pelo combate à discriminação racial, mas também enquanto Dia Internacional da Síndrome de Down. Essas duas lutas são diárias e temos a necessidade de lembrá-las sempre. Ao longo desses quatro anos (da primeira gestão), foram feitas algumas ações pra dar visibilidade e combater à discriminação racial no município de São Cristóvão, entre estas destaco: o Xirê, que organizamos na Praça São Francisco, mostrando as danças de Matriz Afrodescendentes e o Projeto “Ervas e Raízes”, que trouxe o tratamento através das ervas medicinais, que os nossos ancestrais usavam enquanto mecanismo de cura”, informou Acácia.

 

A coordenadora ainda pontuou que atualmente a Fundact vem realizando um mapeamento dos terreiros existentes dentro da cidade. “O cadastramento de povos e comunidades tradicionais é uma forma de mostrarmos e registrarmos a resistência do nosso povo e a existência dos afrodescendentes indígenas e quilombolas que residem em nossa cidade. Essa resistência e combate à discriminação racial e de gênero é um diferencial nosso, abraçado por todos nós que trabalhamos na Fundact, onde lidamos com arte, cultura e turismo, mas também inclusão e respeito”, finalizou Acácia.