‘Alimentação, direito de todos’ é tema do 1º Seminário de Segurança Alimentar e Nutricional em São Cristóvão

14/10/2022 - 16:04 Atualizado há 8 horas



Com o objetivo de garantir o direito básico de uma alimentação adequada a todos, a Prefeitura de São Cristóvão realizou na manhã desta sexta-feira (14), o 1º Seminário de Segurança Alimentar e Nutricional, no Paço Municipal. A ação é promovida pela Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS). 

 

 

Segundo a secretária da Semas, Lucianne Rocha, o encontro surge em alusão ao Dia Mundial da Alimentação, comemorado no dia 16 de outubro, para discutir as ações estratégicas de enfrentamento à insegurança alimentar dentro do município.  “Hoje nós estamos conversando com a Universidade Federal de Sergipe e da Secretaria de Estado da Inclusão que são nossos aliados nesse processo. Além disso, esse seminário surge também dentro da discussão do Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional que tem sido cada vez mais atuante aqui no município desde a criação do primeiro Centro de Referência em Segurança Alimentar e Nutricional do estado, o CRESAN”, explicou.

 

Lucianne Rocha, secretária da Semas

 

A abertura do evento contou com a participação da coordenadora do Observatório de Segurança Alimentar e Nutricional (OSANES - UFS), Silvia Voci, que iniciou o seminário apresentando um diagnóstico da insegurança alimentar e nutricional em Sergipe e no Brasil, além das formas de enfrentamento. Em sua fala, a coordenadora elogiou a inserção de São Cristóvão no combate a essa problemática. 

 

“Desde 2017 que temos percebido que o município vem trabalhando nessa pauta. O CRESAN é um fruto que nasce desses anos de trabalho aqui da gestão e que tem feito um trabalho muito interessante junto a população. O programa Tá na Mesa é algo que eu considero importante porque já temos analisado alguns dados parciais do programa e nesses seis meses nós observamos alguns efeitos bem interessantes nas vidas dessas famílias. São Cristóvão tem tudo para ser um modelo a ser evidenciado e aplicado em outras partes do estado e do Brasil”, comentou.

 

Silvia Voci, coordenadora do OSANES - UFS

 

Opinião dos presentes

 

A coordenadora de segurança alimentar e nutricional da Semas, Winnie Fontes, acrescentou que de acordo com dados do Cadúnico de São Cristóvão, mais de 50% das famílias cadastradas estão em situação de extrema pobreza, algo que reflete também na questão da insegurança alimentar. “Esse seminário serve justamente para encararmos essa realidade de forma conjunta junto das secretarias e da sociedade civil nesse processo”, disse. 

 

Winnie Fontes, coordenadora de segurança alimentar e nutricional da Semas

 

Representando a SMS, o coordenador de Promoção da Saúde e Programas Estratégicos de São Cristóvão, Mário Mendes, ressaltou a necessidade de um trabalho intersetorial no confronto à insegurança alimentar. “Dentro da parte organizacional da Secretaria da Saúde nós trabalhamos esse tema na parte legal, na questão da vigilância alimentar e nutricional, como também na captação de recursos para implementar essas ações de alimentação e nutrição dentro do município. Além disso, temos as equipes de estratégia de saúde da família, que lidam diretamente com esse problema e que está dentro da rede de atenção à saúde, para que nós consigamos acabar com essa questão e impactar a vida das pessoas da melhor forma possível”, finalizou.

 

Mário Mendes, coordenador de Proteção da Saúde e Programas Estratégicos de São Cristóvão

 

Para Roanna Nascimento, presidente interina do CONSEAN de São Cristóvão, esse evento é importante tanto para as famílias quanto para os agricultores do município. “O conselho está aqui disponível junto das entidades públicas e não governamentais para trazer informação e fazer essa ponte entre o agricultor e as pessoas que precisam desse alimento, que esse conhecimento não fique só aqui e seja partilhado para todos”, concluiu.

 

Roanna Nascimento, presidente interina do CONSEAN de São Cristóvão

 

O seminário abordou também outros assuntos como: o papel da sociedade civil organizada na busca da garantia da segurança alimentar e nutricional, estratégias de combate à fome, e perspectivas futuras - como integrar as ações, criando uma agenda intersetorial. Estiveram presentes no evento representantes das secretarias municipais e UFS , além de servidores, e membros da sociedade civil. 

 

Fotos: Inácio Prado