Alceu Valença é anunciado como atração do Festival de Artes de São Cristóvão

01/09/2022 - 15:17 Atualizado há 23 minutos



Nesta quinta-feira (01), data em que comemora 50 anos de história, o Festival de Artes de São Cristóvão (Fasc) anunciou mais uma atração que estará presente na 37ª edição do evento. Trata-se do cantor, compositor e instrumentista Alceu Valença, um dos maiores ícones da música popular brasileira, que acumula décadas de carreira, álbuns premiados e canções inesquecíveis como "Anunciação", "Morena Tropicana" e "La Belle de Jour". 

 

Influenciado pelos maracatus, cocos e repentes de viola, o pernambucano Alceu Valença é o quinto artista confirmado para o Fasc deste ano, que já tem garantida a presença de Gal Costa, The Baggios, Emicida e Hiran. O evento acontece de 01 a 04 de dezembro na Cidade Mãe de Sergipe. 

 

No Fasc, Alceu apresentará o show “Anunciação - Tu vens eu já escuto os teus sinais”. Nele, o cantor trará um abrangente panorama das diversas vertentes de sua obra. Dos sons do Brasil profundo, entre forrós, baiões, xotes, toadas e emboladas, Alceu alia temas de sua autoria – “Coração Bobo”, “Táxi Lunar” e “Papagaio do Futuro” - a clássicos de Luiz Gonzaga e Jackson do Pandeiro: “Baião”, “Vem Morena” e “Canto da Ema”, entre outras.

 

Do sertão ao litoral, o show inclui frevos que conquistaram as ruas de São Paulo e Olinda nos desfiles do bloco Bicho Maluco Beleza, comandado por Alceu. Da folia ao pop, os hits de uma das carreiras de maior sucesso na música brasileira: “Belle de Jour”, “Cavalo de Pau”, “Pelas Ruas que Andei”, “Como Dois Animais”, “Tropicana”, o hino “Anunciação”. 

 

Alceu Valença canta ao lado de Leo Lira (guitarra), Tovinho (teclados), André Julião (sanfona), Nando Barreto (baixo), Cassio Cunha (bateria).



O Festival

 

Promovido pela Prefeitura de São Cristóvão, o Fasc celebra neste ano 50 anos de história, diversidade e resistência. O Fasc foi iniciado em 1972, e serviu de palco para grandes artistas sergipanos e nacionais, para que pudessem expressar suas produções artísticas nas mais diversas modalidades. O evento foi descontinuado em 2005 e retornou em 2017 resgatando a proposta dos antigos festivais e reacendendo a programação cultural da Cidade Histórica. Em 2022, dois anos após pausa por conta da pandemia de Covid-19, o Festival retorna ao formato presencial e promete ser o maior de todos os tempos, trazendo grandes nomes da cultura local e nacional.

 

A expectativa é que mais de 30 mil pessoas circulem diariamente pelas ruas históricas e por sua praça patrimônio da humanidade, ambas chanceladas pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e pela Unesco, respectivamente. Ao todo serão 15 locais preparados com toda estrutura necessária para receber as apresentações e o público na Cidade Mãe de Sergipe. 

 

Apresentações teatrais, dança, música, além de debates literários, feiras gastronômicas e de artesanato, palestras, oficinas e exposições farão parte da programação que será distribuída em locais públicos, organizados de forma a garantir acessibilidade e sustentabilidade gratuitamente em todo o Centro Histórico e outros pontos da cidade.